O QUE REALMENTE FARIA VOCÊ MUDAR?

Essa é uma preparação para o autoconhecimento. Muitas vezes nos pegamos pouco satisfeitos com as nossas vidas e em como as coisas estão. É claro que com tudo isso é difícil – muito difícil – pensar em qualquer outra coisa, quando essas questões da vida real estão na pauta de discussão; ainda que aspiremos algo mais profundo e significativo.

Então, todos nós temos problemas? Sim, isso é fato! Mas, honestamente eu prefiro acreditar que problemas não existem. O que existem são desafios a serem superados para nos fazerem crescer. Nenhum desafio deve nos incomodar ou mesmo nos impedir de nos tornar tudo o que devemos ser. Devemos manter as aspirações, de quando éramos crianças, vivas dentro de nós. Os sonhos nos mantem vivos e jovens, embora o tempo cronológico continue agindo.

Cada tempo é um tempo, assim como cada caminho é um caminho.  Cada tempo, época ou caminho demanda um “EU” diferente e adaptado a nova realidade. Essa adaptação demanda mudanças, evolução. O processo de mudança inicia-se quando fazemos – para nós mesmos – questionamentos que nos geram reflexão e autoconhecimento.

1. O QUE EU REALMENTE QUERO?

Preste atenção no seu tempo. Existem tantas coisas que você quer fazer em sua vida e tão pouco tempo para realiza-las. Encontrar algo, que realmente seja importante para você, pode te ajudar a dar esse pequeno passo em direção ao seu objetivo. Priorizar é a chave, para saber o que vale a pena investir tempo e energia.

2. DEVO REALMENTE MUDAR?

Se a história nos ensinou uma coisa, é que a vida não para e não espera até que nos adaptemos as mudanças. Se antigamente as soluções eram consistentes o suficiente para serem duradouras, hoje em dia tudo muda muito rápido. Portanto, é preciso se reinventar a todo o momento para não ser instinto como os dinossauros, as máquinas de datilografia e os mimeógrafos. Como dizia Peter Drucker (Escritor, Professor e Consultor Administrativo de origem austríaca) – “A velocidade das mudanças e das descobertas ultrapassa nossa capacidade de nos mantermos atualizados.”. Devo realmente mudar? Essa é uma pergunta que só você pode responder! Se você deseja algo (a tal ponto de não puder mais viver sem) e para tê-lo precisa ser diferente, adotar postura e atitudes diferentes; você já tem a sua resposta. Faz sentido para você?

3. QUAL O LADO POSITIVO DE TUDO ISSO?

Com tantas coisas acontecendo ao nosso redor, parece não haver espaço – para sequer considerar – que existe uma luz no fim do túnel. Mas, essa luz existe! Tudo parte de um ponto positivo. Em qualquer acontecimento, bom ou ruim, podemos tirar um aprendizado. Como mencionado anteriormente, não existem fracassos, o que existem são resultados – positivos e negativos – onde nos fazem crescer e evoluir como seres humanos. Se o resultado foi positivo, ótimo, potencialize! Porém, se foi negativo, ressignifique, tire um aprendizado, evolua com ele.

4. ESTOU SATISFEITO COM O QUE ESTOU FAZENDO?

Há sempre escolhas a fazer, quando se trata de decidir qual atitudes devemos tomar. São desde escolhas simples como o sapato que irei calçar; até escolhas mais complexas, como o plano de ação que farei para minha empresa. Não é inteligente pensar em uma única possibilidade, ou então todos seremos iguais em tudo o que fazemos. Analise as possibilidades e veja se está satisfeito com o que está fazendo! Faça uma retrospectiva de suas atitudes, conduta e veja se tem alcançado – com elas – o resultado desejado de forma satisfatória.

5. JÁ FIZ O SUFICIENTE PARA MIM?

Há algo mais que você deseja fazer? O descontentamento, em grandes doses, pode ser perigoso; mas em pequenas quantidades pode incentivar a busca pela excelência. Seja extremamente grato pelo que tem ou pelo que já fez, porém insaciável pelo melhor. Você verá que será capaz de fazer coisas que você nunca poderia imaginar.

6. ESTOU FELIZ ONDE ESTOU E COM QUEM EU SOU HOJE?

É uma pergunta ingrata, então, te ajudarei a pensar! Imagine-se em um mundo, onde os salários são pagos em felicidade. O dinheiro não existe e a felicidade é a única moeda de troca. Já se imaginou? Então, agora responda a si mesmo! Você estaria fazendo o que faz hoje? Estaria morando onde mora hoje? Estaria agindo da forma que age hoje? Você seria quem você é hoje???

7. QUAL É A MINHA MISSÃO NO MUNDO?

Nossa missão estabelece o que fazemos e porque fazemos. Ela está relacionada aos nossos talentos, às nossas ações, aos nossos objetivos e a forma como vemos o mundo. Por que você existe? Por que você está vivo nesse planeta? O que você faz aqui? Por quem e para quem você está aqui? Geralmente pessoas infelizes não tem respostas para essas perguntas. Crises existências são como “cânceres” que correm a alma, sugando as energias. Falta de missão é fator preponderante para insatisfações, frustrações e infelicidade.

8. QUANTO EU PRECISO GANHAR?

Vamos supor que, neste caso, não exista nenhuma crença limitante a respeito de dinheiro (dinheiro é sujo, não traz felicidade, blá blá blá blá etc..). Quanto você realmente precisa de dinheiro? Você gostaria de ter muito dinheiro? Você precisa ter muito dinheiro? Você merece ter muito dinheiro? O quanto você está disposto a trabalhar por isso?

9. O QUE ME MOTIVA?

O que motiva você? É uma resposta que você precisa descobrir por si mesmo. Há tantas coisas que podem fazer todos felizes, mas escolher uma é a parte mais difícil. É igual quando vamos almoçar em um self-service. Nos deparamos com tantas opções que dificultam a nossa escolha e – quando percebemos – já montamos um “pequeno Everest” em nossos pratos. Um prato muito cheio nos faz perder o foco (fome), pagar caro (consequência) e desperdiçar comida (oportunidade). Portanto, precisamos selecionar bem o que mais nos motiva, para evitar os desgastes e consequências desagradáveis. Faça escolhas assertivas, mantenha o foco e caminhe passo-a-passo.

10. O QUE REALMENTE FAZ VOCÊ MUDAR?

O que realmente faz você mudar? Você pode ser quase qualquer coisa que você queira ser. Só para frisar eu disse “quase”, porque existem alguns fatores. Depende só de você? É legal? É ético? Não vai prejudicar os outros? É humanamente possível? Portanto, você pode ser “quase qualquer coisa” que você queira ser! Mas, ao perceber que seu objetivo parece ser muito difícil ou distante, você acaba desistindo antes de começar a jornada. Lembre-se sempre, que AUTOCONHECIMENTO, TRANSFORMAÇÃO e EVOLUÇÃO não são apenas sobre a mudança física ou filosófica que você precisa submeter-se, mas é algo que você realmente precisa desejar. A gente só muda, quando a mudança realmente faz sentido para nós. A gente só muda, quando a situação atual se encontra tão insustentável, que a “dor” de continuar a mesma coisa é maior do que a “dor” da mudança.

Essa é a diferença de uma GALINHA – domesticada, terrestre e que vai passivamente para as nossas panelas; para uma ÁGUIA – livre, dona do seu próprio destino, poderosa, com visão de futuro e longevidade. Ser galinha é muito fácil, basta se submeter ao destino e comer as migalhas que vida lhe dá. Agora, a partir do momento em que você assume a responsabilidade da sua vida, cria o seu próprio destino, ergue suas asas e alça voos mais altos; você está vivendo como uma águia.

SER ÁGUIA DÓI, MAS É GRATIFICANTE!!!

Até o próximo artigo e nos encontramos no Topo!

GILSON SOUZA | Transformando Vidas

– Palestrante Comportamental

– Mestre em Psicanálise Clínica e Saude Mental

– Especialista em Gestão de Pessoas e Inteligência Emocional

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *